Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Atenção autoridades: Google deverá revelar seus segredos

O Google compete de forma justa? O Google interfere no mecanismo de busca à seu critério? O Google coleta mais informações do que o necessário sobre nós? O Google é justo ao classificar um site como ofensivo? Estas são apenas algumas das questões que não calam, quando o assunto é a atuação do buscador na Internet. Se no Brasil, o Google vai empurrando, influenciado pela inércia das autoridades e baixa demanda, tentando cravar sua “jurisprudência” e seu “jeito de ser, ponto”, nos Estados Unidos, passa a ser pressionado para revelar seus segredos, em diversos aspectos dos seus serviços.

No Texas, a investigação civil que o Google vem experimentando pelo Attorney General (Procurador Geral do Texas) demonstrou claramente a maturidade das autoridades em lidar com a questão, o que de longe falta às Ongs, Ministério Público e Judiciário brasileiro. O Google acaba de receber um requerimento com 39 pedidos de documentos, envolvendo dúvidas que todos nós temos como: critérios para lista branca e negra, como é calculado os preços do AdWords, medidas competitivas adotadas em face de Bing e Yahoo, bem como sua real interfrência no resultado das buscas e no comércio eletrônico.

O Google por sua vez, disse estar disposto a colaborar! (http://digitaldaily.allthingsd.com/20110216/heres-the-texas-ags-letter-demanding-googles-search-policies-and-ad-rate-formulas/) Ora, se lá há a cooperação, porque aqui no Brasil tudo é diferente? Que isto sirva de alerta aos Doutos membros dos órgãos de aplicação de Lei no Brasil, para que saibam claramente que o Google tem plenas condições técnicas de revelar informações importantes à sociedade e principalmente, fazer o que quiser na Internet.

Que todos possam fazer o seu papel, divulgando esta informação à sociedade. Que as autoridades aprendam com o exemplo e descubram que o Google pode mais do que alega em seus processos.

Acesse aqui o documento enviado pelo Procurador Geral do Texas ao Google:
Texas_GOOG_CID

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima