José Milagre - Perito em Informática, marketing e proteção de dados. Especialista em crimes cibernéticos. Palestrante. Palestras e conscientização Combate a Crimes Digitais - Atendimento em todo o Brasil

(11) 98105-6959

(650) 318-5194

Espionar celular ou WhatsApp do marido ou esposa pode ser crime

Espionar celular ou WhatsApp do marido ou esposa pode ser crime

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Recentemente a Arábia Saudita aprovou lei que impede cônjuges de acessar ilegalmente os telefones um do outro, sob pena de multa de 133 mil dólares e até um ano de prisão.

Se apenas acessarem o celular e não usarem os dados, receberão apenas advertência do Juiz. A medida se aplica ao acesso indevido a computadores, smartphones e câmeras.

No mundo outros casos de condenações por espionagem entre namorados e casais já foram noticiados. Na Espanha, um homem foi condenado a dois anos e meio de prisão por bisbilhotar conteúdo da mulher. A tese do advogado em direito digital de que o dispositivo era “da família” não fora aceita em juízo.

Na Internet é comum manuais e vídeos sobre “aprenda a espionar a conversa do WhatsApp apenas com o número da pessoa”, ou mesmo “como invadir um celular pelo número” ou ainda “hackear o WhatsApp de outro celular”.

A discussão no Brasil é polêmica, recomendo a leitura desta matéria do EL PAIS: https://brasil.elpais.com/brasil/2015/10/02/internacional/1443804996_640011.html

Aqui, no entanto, não há necessidade de legislação especifica, considerando que a Lei 12.737/2012 (Carolina Dieckmann) já prevê que:

Art. 154-A.  Invadir dispositivo informático alheio, conectado ou não à rede de computadores, mediante violação indevida de mecanismo de segurança e com o fim de obter, adulterar ou destruir dados ou informações sem autorização expressa ou tácita do titular do dispositivo ou instalar vulnerabilidades para obter vantagem ilícita:  

Pena – detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa.  

1o  Na mesma pena incorre quem produz, oferece, distribui, vende ou difunde dispositivo ou programa de computador com o intuito de permitir a prática da conduta definida no caput.  

2o  Aumenta-se a pena de um sexto a um terço se da invasão resulta prejuízo econômico.  

3o  Se da invasão resultar a obtenção de conteúdo de comunicações eletrônicas privadas, segredos comerciais ou industriais, informações sigilosas, assim definidas em lei, ou o controle remoto não autorizado do dispositivo invadido:  

Pena – reclusão, de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos, e multa, se a conduta não constitui crime mais grave.  

Assim, aquele que acessa indevidamente, instala código malicioso ou clona o WhatsaApp ou comunicador WEB para acessar a partir de outro dispositivo poderá responder criminalmente, sem prejuízo da reparação moral e material pelos danos causados, sendo marido, namorado, esposa, namorada, ou não.

De se destacar que a privacidade e intimidade são uns dos direitos mais importantes da nossa Constituição e que não existe lei de qualquer relacionamento que imponha a um dos conviventes o compartilhamento de seus logins, senhas, perfis de redes sociais ou de conteúdos que desejam manterem preservados, até mesmo do seu convivente. O perito em informática poderá analisar o equipamento e constatar códigos maliciosos ou aplicativos de espionagem instalados.

image_pdfimage_print

1 comentário em “Espionar celular ou WhatsApp do marido ou esposa pode ser crime”

  1. Eu clonei Whatsapp do meu marido e me separei dele e estou com Whatsapp ainda clonado seram q eu posso responder por criminalmente por isso me ajudem obrigadu

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima